CAPÍTULO I: Conseguindo Respostas - parte 1

Author: Luan F. Bittencourt / Marcadores:

É dia dos comerciantes na capital de Aerandir. As ruas estão muito movimentadas e as feiras lotam no centro da cidade. É o dia em que pessoas de todos os lugares chegam para apresentar e vender suas mercadorias, que, a maioria, são novidades para os moradores de Edran. Bebidas, objetos de decoração, comidas, brinquedos, todo tipo de coisa é vendido neste dia, somente as mercadorias bélicas ficam de fora.
Todas as pessoas na cidade comentam o acontecido na noite anterior, inclusive com os comerciantes de outras localidades.

− Isto não pôde ter acontecido! − grita o rei Ardon, de pé na frente dos soldados sobreviventes do incidente − Vocês são irresponsáveis! Não servem nem para ficar de guarda na frente de um portão! Argh! Saiam já da minha frente!
− Sim, Senhor. − dizem os soldados inconformados com a reclamação, mas ainda assim mantendo o respeito pelo rei, sem questioná-lo.
Os soldados saíram do salão, menos um.
− O que quer comandante Uran? − indaga o rei olhando o soldado.
− Eu entendo a sua indignação, meu Rei, mas eram Pardos! Não estávamos preparados para aquele ataque. Eu tentei correr atrás deles, mas além de a armadura me dá um peso extra, eles correm muito mais do que qualquer homem normal! − disse o comandante, retirando o seu elmo e revelando seus lisos e longos cabelos negros, o seu rosto fino e seus olhos castanhos.
− Ela fazia dezoito anos. Eu a preparei para fazer parte do conselho executivo. Hoje mesmo ela começaria a sua vida política! E quem sabe ela não me substituiria quando chegasse a minha hora?
− Mas senhor, isso é contra as leis de...
− Que se danem as leis de hereditariedade! Eu faço algumas mudanças nelas! Todos esses anos somente homens subiram ao trono de Edran! Eu e minha filha mudaríamos isso.
Fez-se silêncio por um tempo.
− O senhor quer que eu vá atrás dela? Ainda há tempo.
O Rei parou por um curto período de tempo, sentou-se no seu trono de ouro com almofadas vermelhas. Seu rosto demonstrava preocupação e dúvida, então se pronunciou:
− Recrute algumas pessoas. Deve haver alguns bons guerreiros espalhados pela cidade. Você e seu grupo parte amanhã pela tarde.
− Sim, meu Rei. − O comandante do exército de Edran curvou-se perante o símbolo de maior nobreza e se dirigiu à saída do salão real.
−Ah, − disse o rei − traga a minha nova espada.
− Farei uma coisa antes.
Então Uran se retirou e o salão foi tomado pelo silêncio.

Continua....

5 comentários:

lperon disse...

muito bem feito o blog, parabéns.
http://excelentee.blogspot.com/

Luxus disse...

Layout do blog estah muito bom e o conteudo melhor ainda! parabens

Criador disse...

Nossa muito bom mesmo!!Ta de Parabens!
Ai vc quer parceria?Se quiser me envie um email confirmando!pliniobianchini@oi.com.br

http://www.bondedoips.blogspot.com

xisde-xd.com disse...

Hehe.. ótimo texto .. aguardando as próximas partes

;D

Tchezar disse...

Muito boa essa história! Quero ver a continuação!!

Postar um comentário